Andrea de Barros

Archive for maio \31\UTC 2010|Monthly archive page

As fotos que eu fiquei devendo…

In Fotos on maio 31, 2010 at 4:00 pm

Teatro Bolshoi

Guarda do Kremlin

No Aleksandrovski Park, de frente para o Kremlin

Alguns amigos no jantar de despedida do Ante e do Aleksander

Aleksander, o "chef", preparando os pães

Sofia, preparando o frango

Meu favorito: batatas gratinadas com creme

O ensopado de frango com molho de tomate, muçarela e muita, mas muita pimenta!

Hoje só fui à aula, tentei resolver algumas coisas burocráticas, como abrir minha conta no banco (mas isso ainda está nos capítulos iniciais), fiz faxina e estou voltando pro quarto pra estudar mais. Mas se amanhã rolar alguma nova emoção, passo pra cá 😉

Beijos e saudades!

Anúncios

Até amanhã!

In Uncategorized on maio 30, 2010 at 7:14 pm

Agora são 23h15 por aqui e eu acabei de sair do jantar de despedida do Aleksander e do Ante, aqueles dois amigos que, no meu primeiro dia aqui, me ensinaram onde fica o supermercado, como comprar o chip pro celular, enfim, coisas básicas que me ajudaram muito. Eles reuniram várias pessoas na cozinha e o jantar ficou uma delícia: batatas gratinadas com queijo, macarrão, uma bela salada e frango ao molho de tomate com queijo, tudo super picante, do jeito que eu gosto 😉

Tirei algumas fotos mas, como eu acabei de sair de lá, ainda não as descarreguei, então, amanhã posto as imagens, tá?

Boa noite a todos, uma ótima semana e до завтра!

De pombos, livros e ballet.

In Uncategorized on maio 30, 2010 at 1:15 pm

Comprei sementes de girassol pra mim, na primeira vez que fui ao supermercado, mas ontem descobri que os pombos amam essas sementinhas. Um apareceu ontem na minha janela, enquanto eu fazia os exercícios de russo, e ficou me olhando com a maior carinha de fome. Tava frio lá for a, eu fiquei com pena e botei uma bela porção de sementes na janela. Foi uma festa, apareceram vários pombos e, depois que as sementes acabavam, tinha um que não arredava pé: ficava me encarando, esperando, mesmo que eu fechasse a cortina na cara dele, o bichinho continuava ali. Não deu outra, ontem voltei ao supermercado pra fazer minhas comprinhas básicas e trouxe pra casa um pacote tamanho família de semente de girassol. Vai ser legal alimentá-los todo dia, é sempre bom ter animais por perto.

Esse foi o primeiro...

Depois, olha só no que deu!

Ontem foi um dia bem produtivo. A Tamara, minha professora de russo, está me ajudando na tradução de alguns capítulos da História da Literatura Latino-americana, publicada pelo IMLI, o que é excelente tanto para aumentar meu vocabulário, quanto para o andamento da minha pesquisa. Aliás, na segunda-feira à tarde eu devo voltar ao IMLI, pra comprar outro volume dedicado à literatura do século XIX, que também vou precisar traduzir. Também na segunda-feira vou receber minha autorização pra trabalhar nas bibliotecas da MGU e nas demais que o professor Andrei me indicou.

Mas, como hoje é sábado e os finais de semana são sagrados, tirei o dia pra fazer turismo! Acordei tarde, sai daqui perto das 11h e peguei o metrô até a estação Teatralnaya (Театральная), que fica coladinha ao Teatro Bolshoi. Fui para conhecer o teatro e para comprar minha entrada para o ballet Spartacus (Спартак), para a sessão de domingo, e depois fazer a visita guiada ao Kremlin. Mas como só havia ingressos para hoje, às 19h, tive que cancelar a visita completa ao Kremlin para dar tempo de voltar para casa, me arrumar e voltar ao teatro. Passeiei apenas no Aleksandrovski Sad (Александровский Сад), os jardins ao redor do Kremlin, mas pude ver a troca da guarda, que acontece de uma em uma hora e é bem divertida. Eles marcham lançando a perna à frente esticada, a 90º no mínimo – daí dá pra entender o talento que eles têm pro ballet, pra ginástica olímpica e tudo o que envolve força e flexibilidade.

Quando ao Bolshoi, pra mim é até difícil escrever sobre isso, porque eu nunca acreditei que um dia eu realmente fosse assistir a um espetáculo do Ballet Bolshoi, no Teatro Bolshoi de Moscou. Eu amo ballet clássico desde os 5 anos e, desde que me lembro, sempre achei o Bolshoi algo mágico, inatingível. Eu até já tinha assistido a dois espetáculos do Bolshoi em São Paulo, no Teatro Municipal, mas aqui, na casa da companhia, é outra história.

Foi a primeira vez que eu assisti a Spartacus, que é um ballet muito forte, que exige grande capacidade de interpretação dos bailarinos, e nisso o Bolshoi tem tradição. Os bailarinos, além de altamente técnicos, são muito expressivos. A bailarina que interpretou Aegina, a amante de Crassus, era maravilhosa, e o que fez Spartacus também é incrível.

Pena que eu acreditei no que estava escrito no ingresso, que era proibido entrar com câmera, porque todo mundo estava tirando fotos da área interna do teatro, que é linda, e eu deixei a minha câmera em casa. L Fica para a próxima, prometo.

Bem, amanhã eu devo ficar por aqui mesmo, estudando, então, não devo ter muitas novidades. Mas, se tiver, passo para cá.

Beijos!!

Quase tocando a estrela

In Uncategorized on maio 28, 2010 at 8:37 pm

Ontem eu cheguei ao ponto mais alto do prédio principal da MGU, na base da estrela que sempre me guia na volta pra casa. Tudo bem, a arquitetura é tipicamente stalinista, mas, paciência, é lindo, muito impressionante.

Teto da sala mais alta do prédio principal, bem abaixo da torre da estrela.

Estava muito frio, eram 15h30 e, lá em cima, o famoso “ventinho” russo não dava trégua. Mas a vista compensava:

Essa visita, que começa pelo mirante no topo do prédio e vai descendo, passando por aquela pequena sala sob a estrela, pelo Museu da Terra – museu para estudantes da universidades, e por outras instalações como o teatro, belíssimo, foi organizada pelo Iliá, responsável pelas relações da universidade com o Brasil (ele fala português, um pouco truncado, mas dá pra entender), com o intuito de integrar os estudantes brasileiros, mas, apesar de 10 estudantes terem confirmado a presença, só 2 compareceram – euzinha e um professor de matemática da USP, que está aqui para um intercâmbio de 2 semanas 😦

Mas, tudo bem, foi muito interessante, porque conhecemos um pouco da história da universidade, vimos o projeto inicial, fotos da inauguração (inclusive fotos dos dormitórios, que continuam idênticos!). Muito legal.

Mural de vidro, ao fundo do palco do teatro do prédio principal

Citação de Lênin, na lateral do palco

Apesar de termos passeado somente pelo interior do prédio principal, sem passar por todos os andares, é claro, a visita durou 3 horas! E eu não vi o tempo passar. O mais legal é que a pesquisadora responsável pelo museu foi quem nos conduziu e fez todas as apresentações, em russo – enquanto o Ilia tentava arduamente traduzir para o português – e eu consegui entender quase 50% do que ela dizia. Também consegui me comunicar com ela e com a esposa do Iliá, Tatiana, que só fala russo! Minhas 5 horas diárias de estudo estão dando seus primeiros resultados, eee!!

Amanhã é sábado e eu quero visitar o Kremlin e, se possível, assistir a um ballet (depende do preço e da disponibilidade de ingressos). Amanhã à noite, conto e mostro tudo, ok?

Beijos da cidade que, segundo os astronautas russos, é a mais brilhante de toda a Terra, quando vista do espaço.

2 dias frios e sem internet

In Uncategorized on maio 27, 2010 at 9:34 am

Estou aprendendo que, em Moscou, nada é estável, tudo pode mudar a qualquer instante. Principalmente o clima e o acesso à internet (ao menos aqui na MGU), que costuma ficar dois ou três dias sem funcionar, de repente.

No domingo estávamos a cerca de 30ºC, na segunda um pouco mais fresquinho, mas ontem e hoje, socorro! É como o Edo dizia – frente fria aqui vem da Sibéria e vem com tudo! De repente, 8ºC, sem aviso! E aqui, dentro do querto, vc nem sente a mudança da temperatura, está sempre quentinho. Mas quando você decide sair, leva o maior tapa na cara. O “ventinho” russo é de matar.

Ontem choveu sem parar, desde a manhã. Chuva fina, constante, gelada e chatinha. Até pensei em ficar em casa até a hora da aula, já que o tempo estava horrível, mas como era aniversário da Tamara, minha professora de russo, ela me ligou e fui almoçar com ela e com Djun-djun, outro aluno dela, da Coréia do Norte.

Eu e a aniversariante

Minha sorte é que aqui, no prédio principal, há algumas lojas, entre elas uma floricultura, e como ela me ligou em cima da hora, tive que correr mas consegui levar flores de presente.

Djun-djun e Tamara

Foi muito bom, porque conversamos bastante, somente em russo, e eu percebi que consegui fazer alguns progressos nessa semana, tanto na compreensão, quanto na fala. Até me senti segura pra passar no banco, depois do almoço, e pedir informações sobre como abrir uma conta. O rapaz do caixa entendia muito  pouco o inglês, então, tive que me virar em russo mesmo e, com paciência – minha e dele – consegui entender que vou precisar levar, além do passaporte e do registro do visto, uma tradução das duas primeiras páginas do passaporte para o russo. Ele não soube me dizer onde eu posso conseguir essa tradução, mas mais tarde eu vou falar com a Sacha, a responsável pelos alunos estrangeiros aqui no centro de línguas, e ela vai poder me dar as diretrizes.

Aliás, a Sacha marcou um encontro, hoje às 14h, só para os alunos brasileiros. Agora são 13h30, então, já já devo ir pra lá. Apesar de não querer falar português por aqui, pra não desperdiçar tempo em que podia estar treinando o russo, acho que vai ser relaxante poder falar na minha própria língua durante uma ou duas horinhas. E também devemos fazer algum passeio juntos, então, estou animada.

Falando de anteontem, eu descobri (Jon, outro aluno da Coréia do Norte, me mostrou) onde fica a lavanderia e também um café bem legal, também no prédio principal. Nesses dias chuvosos, como ontem e hoje, é sempre bom saber que há alternativas por aqui. Jantei lá anteontem, spaghetti com com molho de tomate e vegetais, e estava muito gostoso. Pelo jantar, acompanhado de suco de maçã (horrível!), paguei 210 rublos – R$ 13,12. (Dani, me perdoe por eu não ter tirado fotos do prato, mas era um prato de spaguetti comum e bem servido)

Anteontem também ficou pronto o registro do meu visto. Todos os estrangeiros que visitam a Rússia, seja para turismo, negócios ou estudo, precisam registrar seu visto dentro de 3 dias úteis da sua chegada no país. Como eu cheguei num sábado, o meu deveria ter ficado pronto até quarta-feira passada, mas a Sacha me deu uma declaração assinada pela universidade, explicando que meu registro estaria com eles até essa semana, então, se a polícia me parasse estaria tudo bem. Mas até agora, nenhum policial me parou, e há muitos deles por todos os lugares, principalmente nas estações de metrô, o que é totalmente compreensível diante dos últimos acontecimentos. Que bom, acho que realmente não tenho cara de mulher-bomba 😉

Já ontem, usei pela primeira vez a lavanderia do prédio, que funciona de um jeito muito louco. Se vc não fala russo, simplesmente não dá pra conseguir descobrir por si mesmo como fazer a coisa funcionar, mas, para minha sorte, a Klara, minha amiga austríaca, estava lá e me ensinou tudinho. Num próximo post, quando eu tiver mais tempo, explico com detalhes, porque é realmente muito confuso, mas funciona maravilhosamente bem e é muito barato.

Ontem também, devido aos repentinos 8ºC com chuva, tive que correr até a Zara para comprar um casaco impermeável. Ótima compra, por sinal.

Bom, agora vou dar uma passadinha no quarto e depois descer pro nosso encontro de estudantes brasileiros. Mas tarde postareia as fotos, OK? Muito beijos com saudades!

Minha casinha na MGU

In Uncategorized on maio 24, 2010 at 8:05 pm

Atendendo aos pedidos do Edo, fiz um filminho mostrando meu quarto aqui na universidade. É pequenininho, mas é todo meu por esses 6 meses 😉 Espero que gostem 😉

Visita ao IMLI

In Uncategorized on maio 24, 2010 at 7:48 pm

A reunião com o professor Andrei foi muito legal. Conversei com ele e com mais dois professores do IMLI, que me disseram que praticamente não existe pesquisa sobre Machado de Assis em Moscou. Nos arquivos do IMLI eles me garantiram não haver nada, e aqui na MGU eles acreditam não haver nenhum professor que tenha se dedicado a Machado de Assis.

Mas me indicaram dois lugares onde eu não posso deixar de ir: ao ИНИОН, que tem a melhor biblioteca em ciências sociais da Rússia, segundo eles, e à Biblioteca Lênin, que é a maior biblioteca russa em todos os gêneros.

Depois da reunião, passeamos um pouco pelos arredores do IMLI. Conheci a igreja onde Pushkin se casou, passamos pela casa onde Gogol viveu seus últimos dias, e vimos vários prédios históricos, foi muito legal.

Monumento a Gogol, ao lado da casa onde passou seus últimos dias

Conheci também o prédio da Embaixada Brasileira, que fica bem pertinho do IMLI

Embaixada Brasileira em Moscou

Também comprei 3 volumes da História da Literatura Latino-americana”, publicada pelo próprio IMLI, que serão muito úteis para minha pesquisa. E ontem à noite, antes de dormir, fiz um filminho do meu quarto, para vocês conhecerem minha casinha aqui na MGU, mas está demorando uma vida pra completar o upload no Youtube, então, devo passar o link pro blog só amanhã.

Bem, acho que por hoje é só. Beijos a todos e até amanhã!

In Uncategorized on maio 23, 2010 at 8:08 pm

Estou me apaixonando por Moscou. A cidade é linda, cheia de praças, com prédios históricos incríveis.

Hoje fui conhecer a rua Arbat, ou melhor, as ruas Arbat – são duas: Arbat velha (Старый Арьат) e nova Arbat (Новый Арбат). Foi um passeio rápido, porque meu objetivo principal era chegar até o IMLI, que fica na Povarskaia (Поварская), rua paralela à nova Arbat, mas já foi o suficiente pra me encantar. Muitos escritores russos do final do séc. XIX e início do XX viveram na região da Arbat e suas casas são indicadas por placas e monumentos. Algumas se tornaram museus, os quais eu pretendo visitar o mais rápido que puder.

Monumento a Bunin, na praça em frente à casa em que ele viveu, na Povarskaia.

O próprio IMLI sedia o museu de Gorki e tem um monumento a ele, bem na entrada:

Amanhã às 16h eu voltarei lá, pra encontrar o Professor Andrei no IMLI e conversar sobre nossa pesquisa. Torçam por mim, tá? Essa primeira visita vai marcar o início da minha pesquisa aqui em Moscou, que eu espero ser muito produtiva.

Mas agora, saindo um pouco da esfera da literatura, olha só o que eu encontrei na Arbat velha:

Churrascaria brasileira em Moscou

O nome é “Brasileiro” (Бразильеро)- e na faixa na testeira diz “Restaurante brasileiro de carnes”. Eu achei muito engraçado porque, em russo, não existe a palavra Бразильеро, e sim, Бразильский, então, eles fizeram uma brincadeira fonética, usando o som da palavra brasileiro transcrita para o alfabeto cirílico 😉

Me pareceu um restaurante bem sofisticado, diferente das churrascarias comuns no Brasil. E também parece ser bem caro, já que fica numa região turística e sofisticada. Pra quem gosta de carne, deve ser uma bela pedida.

Bom, já é meia-noite aqui e amanhã meu dia começa cedo, então, beijos a todos e amanhã tem mais! Всего Доброго!

Исмайловски

In Uncategorized on maio 22, 2010 at 8:23 pm

Matrioshkas por todos os lados

Hoje de manhã estivemos no mercado Ismailosvsky, um grande centro de compras ao ar livre, onde se pode comprar as famosas matrioshkas de todos os tipos, por um bom preço se você estiver disposto a negociar. Um colega nosso, que está indo embora na semana que vem e já fala muito bem o russo, conseguiu pagar metade do preço inicial pedido pelas matrioshkas que ele queria levar de presente. Até eu, que só fui pra passear, acabei comprando um conjunto de posters de propaganda russa antiga, com 21 posters, por um preço legal. O vendedor pediu, de início, 600 rublos e, com a negociação do Ante, acabou saindo por 300 😉

Pena que, depois do almoço, o tempo fechou rapidamente e, quando saímos do metrô, pegamos a maior chuva até chegar ao dormitório e eu nem pude tirar mais fotos. Vamos torcer pro tempo ficar bom amanhã, pra eu poder ter mais imagens legais aqui.

Bom domingo para todos e até amanhã!

Minha primeira sexta-feira

In Uncategorized on maio 21, 2010 at 6:11 pm

Моя преподаватель Тамара - Minha professora Tamara.

Essa é minha professora de russo, Tamara, em nossa aula de hoje, às 17h. É um doce de pessoa, trata os alunos como filhos, muito fofa. Disse que vai me convidar pra ir à sua casa, qualquer final de semana desses 😉 Entre maçãs, balinhas e biscoitos, que ela sempre me faz comer e também levar pra casa, estamos revisando muita coisa que eu já havia estudado, mas que estava bem enferrujado, e lendo, juntas, “Memórias do Subsolo” (Записки из подполя):

Um clássico de Dostoievski por Rbl140.00 (R$ 8,75). O paraíso é aqui!

Pra mim, não pode haver método mais interessante: combinar teoria com leitura de clássicos! Estou gostando muito e já já vou pro quarto começar minha lição de casa, que não é pouca.

Além da aula, hoje descobri mais algumas vantagens da minha condição de estudante. Pra entrar em qualquer prédio aqui do campus é preciso mostrar a carteirinha de estudante (студенческий билет) ao pessoal da segurança, mesmo que você tenha acabado de sair só pra tomar um ar lá fora 😉

Mas, apesar dessa chatice, ela garante descontos não só no metrô, teatros e cinemas, como eu já sabia, mas também em restaurantes e lanchonetes 😉 Me dei bem!

O controle de entrada e saída, não só no prédio principal mas em todos os prédios, é bastante rigoroso. Para estudantes como eu, que moram nos dormitórios, é preciso mostrar também um passe, o famoso Пропуск, pra entrar na ala dos dormitórios. O chato é que com esse você não ganha nenhum desconto e, se perder, tem que dormir fora 😉

Mas, brincadeiras à parte, todo esse sistema é legal, porque eu me sinto completamente segura no campus e nos dormitórios, a qualquer horário.

Bem, como hoje é sexta-feira e já são 22h aqui, já estou programando o que fazer no final de semana. O salão aqui, onde usamos a internet, está bem mais vazio que de costume e, pelo jeito, o campus vai ficar meio deserto, então, decidi ir ao Parque Izmailovsky amanhã de manhã, com um pessoal aqui do dormitório. Me disseram que é o maior mercado de Moscou, cheio de memorabilia soviética e coisas interessantes pra ver. Como eles estão indo embora na próxima semana, precisam comprar uns presentinhos e eu vou aproveitar a carona pra fazer fotos legais por blog, ok?

Planejando o final de semana, porque ninguém é de ferro 😉

Então, bom final de semana e até amanhã!